O PROCESSO DE ESCOLARIZAÇÃO DO ESTUDANTE COM AUTISMO:
CAMINHOS ALTERNATIVOS E PRÁTICAS SIGNIFICATIVAS NO CONTEXTO
ESCOLAR

Nome: Daiana Alves de Jesus Dalvi
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 27/04/2021
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Rita de Cassia Cristofoleti Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Ana Nery Furlan Mendes Orientador
Rita de Cassia Cristofoleti Orientador

Resumo: Compreender a importância dos processos de aprendizagem, do aluno com autismo,
e as práticas pedagógicas que são significativas no contexto escolar é direcionar o
olhar para as possibilidades que se instauram cotidianamente nas escolas. Dessa
forma, fazer uso de outros caminhos que atendam a singularidade do tornar-se
humano, possibilitando a participação do aluno no processo de ensino e
aprendizagem é uma necessidade contínua no âmbito das práticas pedagógicas. O
estudo tem como objetivo compreender como se dão as especificidades de
aprendizagem de alunos com autismo, a partir de uma proposta de intervenção
elaborada pela pesquisadora, juntamente com professoras especialistas, que atuam
na sala aula do ensino comum, propondo compartilhar percepções experimentadas
no cotidiano da sala de aula e nas vivências do ensino remoto, bem como os
resultados da colaboração com as professoras especialistas no trabalho com alunos
com autismo. O enfoque foi dado ao uso de recursos visuais e o despertar do
interesse dos alunos para a realização de atividades planejadas. Para um primeiro
momento, iniciaram-se as movimentações no tempo e no espaço do ambiente
escolar. Assim, para dar continuidade aos trabalhos, foi necessário adentrar em um
segundo espaço escolar e vivenciar outras histórias com outros participantes, em um
contexto histórico de pandemia. O trabalho se referencia teórica e
metodologicamente na abordagem Histórico-Cultural de desenvolvimento humano,
elaborada por Vigotski (2000, 2009, 2011, 2014, 2018, 2020) e colaboradores, por
entender que construímos novos significados a partir de novas experiências, e que
as práticas pensadas com intencionalidade favorecem o desenvolvimento da criança
e adolescente. A partir da análise dos dados da pesquisa, concluiu-se que é preciso
pensar na singularidade do aluno com autismo sem afastá-lo das vivências
escolares oportunizadas no ambiente historicamente cultural e social. Dessa forma,
compreendemos através das experiências com Davi e Anne, participantes da
pesquisa, que é possível planejar aulas pensadas em atender a todos, sem limitá-los
ao espaço da sala de aula. O estudo também nos direcionou a fazer uso de
caminhos alternativos e adequações pensadas a atender as necessidades
educativas dos alunos participantes da pesquisa, sinalizando que a colaboração
envolve parcerias entre os profissionais que atendem os alunos, desfragmentando
as ações pedagógicas, confirmando que a colaboração envolve estudo, reflexão,
conexão e planejamento intencionado para atender pedagogicamente os alunos com
autismo.
Palavras-Chave: Autismo. Sala de Aula. Ensino Remoto. Educação Especial.
Professor Especializado.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Rodovia Governador Mário Covas, Km 60 - Bairro Litorâneo, São Mateus - ES | CEP 29932-540