UM OLHAR SOBRE O ENSINO DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA PARA ALUNOS DEFICIENTES VISUAIS

Nome: Andressa Antonio de Oliveira
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 28/03/2018
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Karina Carvalho Mancini Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Andreia Barcelos Passos Lima Gontijo Examinador Externo
Gustavo Machado Prado Examinador Interno
Karina Carvalho Mancini Orientador
Rita de Cassia Cristofoleti Examinador Interno

Resumo: A inclusão de pessoas com deficiência visual em salas de aulas regulares representa um conjunto de desafios no processo de ensino e aprendizagem não apenas para os educandos que apresentam esse tipo de deficiência, mas também para os professores, que devem estar aptos à efetiva satisfação desse trabalho inclusivo. A partir dessas inquietações, objetivou-se aprofundar o conhecimento sobre o ensino de Ciências e Biologia para alunos deficientes visuais. A pesquisa foi organizada em três etapas: (1) levantamento nacional sobre a produção e utilização dos recursos didáticos táteis adaptados a alunos com deficiência visual, para o ensino de Ciências e Biologia, (2) entrevistas com professores da rede pública do município de São Mateus/ES e (3) produção de material didático adaptado. Na primeira etapa, utilizando-se o estado da arte foi possível traçar um panorama sobre a temática, observando que a produção de materiais ganhou força nos últimos cinco anos, mesmo assim, ainda há subáreas dentro das Ciências e Biologia a em que não são produzidos materiais como, por exemplo, a evolução. Nas entrevistas com os professores observou-se que ainda há muito despreparo e insegurança dos mesmos em relação aos alunos deficientes visuais, muitos acreditam que não estão aptos para trabalhar, com esses alunos, temas abordados dentro das disciplinas Ciências e Biologia e é necessária formação continuada para melhorar a educação inclusiva. E, por fim, na terceira etapa foram produzidos sete modelos didáticos tridimensionais de conteúdos elencados a partir dos resultados obtidos nas etapas anteriores. Procedendo-se as analises realizada na primeira etapa e na segunda etapa, foi possível observar a importância dos recursos didáticos no processo de inclusão escolar no ensino de Ciências e Biologia, considerados principalmente pelos professores participantes da pesquisa como facilitadores no processo de ensino e aprendizagem tanto para alunos deficientes visuais quanto para aqueles com boa acuidade visual. Constatamos ainda nas analises, o quanto são necessárias pesquisas voltadas para diversas subáreas que não estavam presentes nos trabalhos analisados. Ainda, diante de muitos relatos dos professores apontando o despreparo ao lidar com tal realidade, foi também projetado uma oficina de formação continuada para futuras oportunidades.
Palavras-chaves: Educação; Professores; Modelos didáticos; Cegueira; Baixa Visão.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Rodovia Governador Mário Covas, Km 60 - Bairro Litorâneo, São Mateus - ES | CEP 29932-540